03 julho 2020

Notas dos últimos tempos

Anna Karina

1 - Fiz 21 anos no fim de maio. Um bolo feio sem glúten e comemoração à la quarentena, apenas com a minha família que mora comigo. Nada demais, exceto pelo presente de aniversário que ganhei do meu pai, que também foi a realização de um sonho que tinha desde criança: ganhar um fusca. Não vejo a hora de tirar a carteira e finalmente poder dirigi-lo. Eu nunca tive tanta vontade na vida de saber dirigir :(

2 - Estou fazendo a transição para o vegetarianismo. Em 2015 eu consegui por quase um ano manter uma dieta vegetariana. Em 2016 eu havia decidido tentar novamente (até fiz uma postagem aqui no blog contando um pouco sobre isso), mas depois disso gradualmente voltei a consumir carne. Durante esses 4 anos, sempre houve o peso na consciência ao comer carne, não teve uma vez sequer que não fiquei triste ao pensar no animal no meu prato. Era inviável para mim voltar a ser vegetariana: "Não deu certo antes, não vai dar agora. É impossível ser vegetariana em uma família de carnívoros!", eu pensava. Mas isso não é verdade, agora eu tenho muito mais maturidade e liberdade do que antes, e estou muito mais consciente e independente sobre as minhas escolhas. Estou nessa transição há uma semana e não vou me apressar. Vou deixar o meu organismo se acostumar e vou fazer as escolhas certas, até o momento em que tudo vai estar perfeitamente normalizado para mim e sem o risco de que eu falhe novamente. Eu me sinto bem fazendo essa escolha, faço por mim, pelos animais e pelo meio ambiente. E tudo bem para quem come carne e está feliz assim! Eu definitivamente não serei a vegetariana chata.

3 - Passei por um bloqueio criativo que durou mais de um mês, desencadeado por um pequeno momento depressivo que tive nessa quarentena. Não consegui produzir nada, nem mesmo peguei em um lápis para desenhar. A minha conta de arte do Instagram está parada desde maio, mas a inspiração está voltando aos poucos nesses últimos dias, assim como a vontade de desenhar e de produzir outras coisas.

4 - Finalmente criei uma conta no Pinterest!!! Realmente não consigo pensar em nenhum motivo para eu nunca ter criado antes, eu apenas não me interessava muito por essa rede social, mas desde que criei não consigo parar de acessá-la, e está me ajudando muito com a retomada da criatividade. Recomendo que criem uma conta também caso não tenham! E quem tiver me manda o nome de usuário para que eu possa seguir! ♥ :)

5 - Teve ciclone em Santa Catarina na terça-feira. Estava no meu quarto quando de repente do dia passou para a noite às quatro horas da tarde. Uma nuvem escura cobriu todo o céu, o vento chiava agudo na minha janela e a chuva caiu forte em questão de segundos. Na mesma hora, a luz acabou. Ficamos quase dois dias sem energia em casa, o freezer descongelou por completo e ficamos sem água quente para tomar banho ou aquecedor no frio da noite. 10 pessoas morreram tragicamente nesse dia, e outras pessoas ainda hoje estão sem luz por conta dos postes derrubados pelo vento e pelas trovoadas. Eu ainda estou um pouco abalada com toda essa situação. Espero que todos estejam bem nessa quarentena, que sejamos fortes!

29 abril 2020

Coronavírus


Eu de novo por aqui, depois de mais de mês. Cada semana que passa, sinto mais vontade e saudade de publicar aqui. O blog é, sem a menor das dúvidas, o meu espaço favorito no mundo. Essa plataforma revela muito sobre mim, e se estou sumida por aqui, é porque estou completamente perdida no mundo real. A verdade é que a quarentena bagunçou a minha rotina, a minha cabeça, e tudo o que estava em seu devido lugar agora está muito bem escondido, ou perdido, ou no meio da bagunça total que a minha vida se tornou. Esse vírus mundial e ainda mortal açoita todos os meus pensamentos positivos.

Às vezes, confesso, tenho medo de morrer, de faltar ar para mim. Eu que fui fumante por anos, que mal consigo subir dois lances de escada sem ofegar. Às vezes apenas fico pensativa quanto a morrer, afinal, é a Mãe Natureza fazendo o seu papel, há muita gente no planeta, pergunto-me se mais do que ele pode suportar. Conforto-me sobre a morte, tenho apenas 20 anos! Estou bem de saúde, tento dizer a mim mesma. Sabendo que tem gente próxima de mim que não está.

O noticiário me arrepia, não há muito que possamos fazer quanto a pandemia, mas façamos a nossa parte permanecendo em nossas casas, pois temos o privilégio de ter uma. Eu procuro me manter ocupada, mas tem dias que não há nada que me tire do tédio. Cochilos da tarde têm se tornado rotineiros, coisa que nunca imaginei antes na vida. Mas não hei de ser pessimista, estou desenhando bastante, dando chance a novas leituras, estudando latim e francês, escrevendo no meu diário e até fui presenteada com uma câmera Canon da minha mãe que estava guardada há algum tempo.

Permito-me dizer que eu não estou legal, mas aos poucos vou ficar, e a esperança de que tudo isso vai passar e que logo as coisas vão voltar ao normal é o que me move a continuar fazendo o que deve ser feito. Eu sinto muito as mortes dos entes queridos que partiram com essa doença, e lamento o atual governo que conspira contra as nossas vidas. Parabenizo todos os médicos do mundo que estão atuando contra a COVID-19, inclusive a minha mãe, que continuam trabalhando todos os dias, equipados tanto quanto soldados para nos cuidar e salvar nossas vidas, e em troca pondo em risco a deles.

Com o argumento reconfortante de que tudo vai passar, e com o pedido clichê que todos estão cansados de ouvir de "Fique em casa", encerro a minha postagem. Eu espero que vocês estejam bem, ou que fiquem bem em breve! Um grande beijo e até a próxima postagem.

20 março 2020

Outono

  

Hoje é o primeiro dia de outono, espero que a nova estação traga tempos melhores para todos. Não está fácil viver em quarentena, e o frio que está por vir deveras me preocupa. Acompanhada da minha mãe e com uma tesoura em mãos, nós fomos a procura de galhos silvestres para fazer um buquê e por em um vaso com água para enfeitar a casa e deixá-la com cara da nova estação.