08/10/2018

Outubro

1. Comecei a participar do projeto Inktober, mas não desenhei nadinha esse fim de semana. Parei para analisar os desenhos que já postei no blog e percebi que não tem nada de boa qualidade. Apenas alguns rascunhos mais ou menos que por algum motivo decidi postar.

2. Quero levar a minha arte com mais seriedade, quero dedicar mais tempo e estudo aos desenhos.

3. Estou tomando mais água e evitando sombras. Passo mais minutos do meu dia no sol — e isso está me fazendo bem, sinto-me mais disposta.

4
. Minha vida está de ponta cabeça e todos os dias eu me sinto testada por ela. Preciso organizar a minha mente, criar forças e continuar seguindo em frente.

5. Não posso mais faltar aula.

6. Meu coração tá muito confuso e apertado. Depois de um término de 11 meses, decidi que não quero mais namorar por um bom tempo.

7. Homens são sub-humanos, por que eu estou falando deles?

8. Eu estou passando muito tempo da minha vida jogando LOL, preciso parar.

9. Quero muito fazer um sorteio de Halloween com parceria, alguém se dispõe a criar algo legal comigo para sortear?

15/09/2018

A banalização do termo "amador" e por quê isso me incomoda

Já pensei em mudar o nome do meu blog várias vezes por inúmeros motivos, mas nunca encontrei outro que eu pudesse me identificar mais do que Isamateur. A junção de Isa + amateur foi bastante atraente no início. Amateur em português significa amador, mas esse significado, a princípio, pode parecer bastante vulgar. Uma simples procura no Google por "amador" pode te levar a resultados extremamente indesejáveis (Não faça isso!).


Talvez esse não tenha sido, levando em consideração todo o contexto do termo nos dias de hoje (obrigada, indústria pornográfica!), o melhor nome para um blog inocente de uma garota de 14 anos que gosta de arte. Mal podia eu imaginar na época os sites que redirecionariam ao meu blog.

Eu, particularmente, gosto das definições dadas pelo dicionário virtual dicio.com.br sobre a palavra. Alguns significados atribuídos a ela, como "Que aprecia muito alguma coisa; apreciador", "Que pratica qualquer arte [...] sem ser um profissional" e "Quem aprecia muito algo ou alguém; apreciador: amador de quadros." pode casar muito bem com o que eu quero transmitir com o meu conteúdo; é a minha cara.


Eu não sou 100% satisfeita com o nome, de fato, mas a essa altura do campeonato acho difícil desapegar. No melhor, acho válido fazer uma conscientização sobre isso (não sei por que e nem a quem). Mas há coisas que a gente tem que aprender a conviver e lidar, e eu lido muito bem caso queiram achar que o que rola aqui é uma safadezinha.

Brincadeiras a parte, dia 31 de agosto foi o 4º aniversário do blog, então achei legal explicar um pouco o significado literal disso para mim. Quem sabe aportuguesar um pouco? Torná-lo Isamador?

03/08/2018

2018-2

O tempo que permaneci afastada da blogosfera não é muito diferente do tempo em que estive afastada de mim. Enquanto fiquei ausente, na minha vida entrei no modo automático e vivi um dia após o outro apenas "empurrando", naquela monotonia rotineira de não pensar em quase nada, de não questionar-me. De viver como Macabéa de Clarice Lispector.

Passei sete meses andando em círculos, perguntando-me por onde andava aquela garota corajosa de 10 e 5 anos atrás. Olhava os álbuns de fotografias com lágrimas nos olhos tentando entender onde é que eu havia errado, em que ponto da minha vida as coisas fugiram do controle e fizeram eu me tornar quem sou hoje, com todos esses defeitos que são abominados por mim.

Estamos na metade do ano e eu decidi que agora o foco é outro. Depois que fiz uma promessa com o meu melhor amigo de dizer a frase "Eu amo minha vida" todos os dias, pelo menos uma vez ao dia, as coisas começaram a ficar mais fáceis. Já faz um mês e eu percebi que comecei a aceitar um pouquinho mais quem eu sou e também a gostar um pouquinho mais de mim. A ficha caiu e eu finalmente compreendi que não preciso ficar tentando me encontrar no passado.



Meu semestre começou na segunda-feira e desde então eu vou indo muito bem. Encontrei uma paz que garanto nunca ter tido antes. O principal é que eu realmente quero ficar bem comigo e eu descobri que, apesar de ter pessoas próximas a mim que me aceitam do jeitinho que eu sou, a única pessoa que pode verdadeiramente me aceitar 100% sou eu. E, meu bem, não há companhia melhor do que si mesmo.

Minha vida anda meio corrida, passo o dia todo na universidade e estou pensando em dedicar os meus finais de semana para voltar a criar a conteúdo criativo para o meu broguinho e acompanhar os meus blogs amigos.