29 abril 2020

Coronavírus


Eu de novo por aqui, depois de mais de mês. Cada semana que passa, sinto mais vontade e saudade de publicar aqui. O blog é, sem a menor das dúvidas, o meu espaço favorito no mundo. Essa plataforma revela muito sobre mim, e se estou sumida por aqui, é porque estou completamente perdida no mundo real. A verdade é que a quarentena bagunçou a minha rotina, a minha cabeça, e tudo o que estava em seu devido lugar agora está muito bem escondido, ou perdido, ou no meio da bagunça total que a minha vida se tornou. Esse vírus mundial e ainda mortal açoita todos os meus pensamentos positivos.

Às vezes, confesso, tenho medo de morrer, de faltar ar para mim. Eu que fui fumante por anos, que mal consigo subir dois lances de escada sem ofegar. Às vezes apenas fico pensativa quanto a morrer, afinal, é a Mãe Natureza fazendo o seu papel, há muita gente no planeta, pergunto-me se mais do que ele pode suportar. Conforto-me sobre a morte, tenho apenas 20 anos! Estou bem de saúde, tento dizer a mim mesma. Sabendo que tem gente próxima de mim que não está.

O noticiário me arrepia, não há muito que possamos fazer quanto a pandemia, mas façamos a nossa parte permanecendo em nossas casas, pois temos o privilégio de ter uma. Eu procuro me manter ocupada, mas tem dias que não há nada que me tire do tédio. Cochilos da tarde têm se tornado rotineiros, coisa que nunca imaginei antes na vida. Mas não hei de ser pessimista, estou desenhando bastante, dando chance a novas leituras, estudando latim e francês, escrevendo no meu diário e até fui presenteada com uma câmera Canon da minha mãe que estava guardada há algum tempo.

Permito-me dizer que eu não estou legal, mas aos poucos vou ficar, e a esperança de que tudo isso vai passar e que logo as coisas vão voltar ao normal é o que me move a continuar fazendo o que deve ser feito. Eu sinto muito as mortes dos entes queridos que partiram com essa doença, e lamento o atual governo que conspira contra as nossas vidas. Parabenizo todos os médicos do mundo que estão atuando contra a COVID-19, inclusive a minha mãe, que continuam trabalhando todos os dias, equipados tanto quanto soldados para nos cuidar e salvar nossas vidas, e em troca pondo em risco a deles.

Com o argumento reconfortante de que tudo vai passar, e com o pedido clichê que todos estão cansados de ouvir de "Fique em casa", encerro a minha postagem. Eu espero que vocês estejam bem, ou que fiquem bem em breve! Um grande beijo e até a próxima postagem.

12 comentários:

  1. Fiquemos bem todos, Isa!

    Eu me identifiquei tanto com sua postagem! Vários dos sentimentos descritos são os meus também - e os de muita gente, sabemos.

    Você é uma mulher maravilhosa e ainda tem muito a dar ao mundo do seu talento e brilho! Fique tranquila porque, repito: ficaremos bem. Apesar das circunstâncias. Apesar do (des)governo.

    Enquanto isso, façamos arte!

    Abraço imenso <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Larissa minha amiga querida <3 Muitíssimo obrigadaaaa pelo seu comentário, ele me animou muito! ♥♥
      Pois saiba que você é mais do que maravilhosa e eu sou uma admiradora assídua da sua poesia <3 Ficaremos bem sim. Um milhão de beijos para vc!! <3 <3

      Excluir
  2. é sempre tão gostosinho te ler [♡]

    também fiquei pensando nessas coisas sobre a pandemia.. mas resolvi parar de pensar tanto para não ficar mal. e tb ter fé e esperança que tudo isso vai passar. porque vai!

    meu sonho ter uma câmera da Canon. se fizer alguns registros fotográficos eu irei adorar ver caso compartilhe com a gente. todos os seus desenhos são tão lindosss!! voltei a leitura de livros. estou retornando a esse mundinho devagar mas estou adorando. tem algum livro que vc gostaria de me indicar? algum dos seus favoritos?

    eu também não estou muito legal. mas vou tentar melhorar. quero evitar os noticiários, e ficar em casa pensando em coisas boas.. meditando. e orando.
    tb torço muito pela sua melhora Isa! no fim não vale a pena nos preocupar-nos. não entendo o porquê tudo tinha q ser assim. mas Deus entende e sabe de tudo. cabe a nós confiar. e crer que tempos melhores virão.

    eu fico feliz de verdade que você goste muito da blogosfera! pois tb é um espaço que eu adoro bastante. e ter blogueiras como você por aqui é gratificante.

    bjss, Geórgia.

    ResponderExcluir
  3. me vi muito em tudo que escreveu. às vezes me perco em pensamentos pensando se eu sobreviveria caso fosse infectada, ao mesmo tempo que penso que sou nova e sinto mais medo pela minha mãe. é difícil. também tenho encontrado conforto e mais leveza aqui no mundo dos blogs, finalmente consegui voltar com o meu (a pandemia precisa servir pra alguma coisa, rs) mas de resto a vida anda um caos. seguimos assim um dia de cada vez (e xingando o asno do presidente em todos eles).

    ResponderExcluir
  4. incrível como essa situação de isolamento nos "forçou" a criar espaços de acolhimento, né? sejam eles físicos ou virtuais (às vezes até em pessoas). acho bom mesmo que encontremos ao menos um. também sinto que um dos meus é a blogsfera.
    também tenho feito reflexões sobre a morte, entre outras coisas, e confesso que elas me assustam um pouco. acho que é inevitável, né? em tempos como esses é difícil se sentir bem o tempo todo. mas, assim como você, tenho buscado me manter ocupada, pra me distrair. um dia de cada vez, certo?
    vai passar! ficaremos bem!
    cuide-se! um beijo :)

    ResponderExcluir
  5. Isso que você falou no primeiro parágrafo é uma verdade também para mim -- e eu nunca tinha refletido sobre ela até te ler.
    Fique bem!

    Limonada

    ResponderExcluir
  6. Não posso dizer que todos estão partilhando do mesmo medo, pelo menos não o governo, mas isso não é novidade vindo daquele monstro no poder.
    Mas eu, assim como você, tenho medo de morrer me faltando algo tão importante, o ar. E apesar de saber que a humanidade merece muitos castigos pelo o que faz com a natureza, acho que ela deveria ser mais certeira. Ainda sim, sobraria tão poucas pessoas.
    Fazemos o melhor para ficarmos bem, até lá, continue se cuidando!
    Beijos! ❤
    Nasetet

    ResponderExcluir
  7. Minha mãe trabalha em um posto de saúde e também tem que se equipar toda todos os dias. É complicado, muita gente ainda acha que o vírus é fake news

    ResponderExcluir
  8. Eu to contando os dias pra esse pesadelo terminar (apesar de achar às vezes que nunca vai terminar de fato).
    Seguimos!

    ResponderExcluir
  9. Conheci seu blog agora pouco e me identifico com o que escreveu.Moro em uma via movimentada e ouço todos os dias as pessoas tratando com desdem a quarentena e saindo de suas casas apenas para causar.Estou isolada desde Fevereiro e penso que muita gente anda a respeitar,mas que muitas vezes ficamos descrentes quando percebemos que nem todo mundo é assim.Já vi várias facetas da ignorância,mas essa faceta que se veste de egoísmo é a pior dentre todas...Não sei se vale a pena dizer-te,mas o simples fato de tu ainda crer que tudo ficará bem,faz um bem danado,faz com que tu mantenha a cabeça nos eixos e tenha responsabilidade coletiva.Agradecer todos os dias é primordial,não sentir-se culpado pelo que tem,mas agradecer e ser empático com todas as pessoas que tem menos e os profissionais da linha de frente.Ademais,gostei bastante da sua arte .
    Forte abraço!

    ResponderExcluir
  10. chegamos a três meses de quarentena e eu já tô rindo de nervoso kkk. sério, parece as vezes que estamos em um livro de ficção científica, algo digno da mente insana de stephen king ou algo do gênero. quem imaginaria que as pessoas usariam máscaras obrigatoriamente nas ruas, e que teríamos até uma máscara favorita a esta altura do campeonato? quem diria que estaríamos dando banho em saco de batata palha e ninando o cachorro que não vê a rua já tem tantas semanas nem para fazer um xixizinho? eu estou me considerando super emocionalmente blindada porque se não pirei até agora a terapia tem dando certo rs

    ResponderExcluir
  11. Tomara que tudo isso passe logo né, trabalhar em casa e ficar longe da família não é facil.

    ResponderExcluir