02 novembro 2020

Minha primeira aquarela

  

Lembro quando ganhei uma caixa de tintas aquareláveis da minha mãe em 2013. Eu não sabia como utilizá-las, nem de técnica alguma. Nessa época eu pintava somente em telas com tinta a óleo. Mais tarde, na madrugada, ouvindo sonatas em um estado de tristeza que não me deixava dormir, lembrei das aquarelas que ganhei mais cedo e pensei que talvez seria uma boa ideia materializar o que eu estava sentindo naquele momento.

Peguei um copo de água, o bloco de papel, os pincéis e a tinta. Senti como se eu soubesse exatamente o que fazer, apesar de nunca ter trabalhado com elas antes. Sem esboço prévio, ou qualquer desenho em mente, aquarelei com vermelho e azul o que daria origem a um rosto dramático. Ouvi muitas opiniões mais tarde acerca dessa pintura: "Onde está boca?", "É menino ou é menina?", como se quisessem ditar o que eu havia pintado, como se a arte precisasse fazer sentido. Não lembro de ter respondido a nenhuma dessas questões e até hoje elas não tem resposta para mim.

Eu sempre guardei essa pintura com carinho, apesar de nunca tê-la achado a mais bela pintura de todas. Entretanto, ela conta uma história, traz-me lembranças daquela época, do meu antigo quarto, de uma Isadora ingênua e melancólica, que hoje não mais sou, mas que de alguma forma sou grata por ela ter existido.

4 comentários:

  1. Achei linda, Isa! Consigo ver o significado dela mesmo por foto. Sempre quis mexer com aquarela, mas me acho desastrada demais pra isso hahaha

    Limonada, blog pessoal
    Suvenir Literário, blog sobre livros
    Projeto Rata de Biblioteca

    ResponderExcluir
  2. sdds daqui <3

    que pintura lindaa.
    mdss eu amo o jeitinho leve e adorável que você escreve.

    ResponderExcluir
  3. que pintura linda, isa! é libertador pintar o seus sentimentos e, mesmo sem saber, o resultado refletir perfeitamente o que seria impossível verbalizar.

    adoro usar aquarela, apesar de saber 0 técnicas! é um ótimo jeito de passar o tempo <3

    ResponderExcluir
  4. Que linda sua aquarela! E suas palavras também.
    Cheguei aqui através do blog da Larissa.

    Abraços!

    ResponderExcluir